Troika chegou há cinco anos e saiu há dois: Portugal em 15 gráficos

Portugal está fora dos radares internacionais, mas a situação económica continua sensível. O baixo crescimento dificulta o pagamento das dívidas e a banca ainda lida com elevado incumprimento. O país produz ainda menos e tem menos emprego que em 2010.

O memorando de entendimento português com a Comissão Europeia, o BCE e o FMI tem data de 17 de Maio de 2011, e esse foi também o dia, três anos depois, em 2014, que se convencionou para marcar o fim do programa de ajustamento – que no entanto só foi formalmente fechado mais de mês depois, sem a aprovação da última revisão ao programa, e com o país a prescindir da última tranche de financiamento da troika – para assim evitar ter de pedir uma extensão do programa e encontrar uma solução para medidas de consolidação chumbadas pelo Tribunal Constitucional na altura.

Cinco anos depois da chega da troika a Portugal, e dois após a sua saída, o retrato da economia portuguesa dá conta de um país em recuperação moderada, que ainda produz menos e tem menos empregos do que antes da crise, mas que já começou a baixar o desemprego e endividamento público e privado, que teimosamente continuam em níveis perigosos.

OriginalSize$2016_05_17_17_18_03_285997

OriginalSize$2016_05_17_17_17_41_285996

OriginalSize$2016_05_17_17_17_21_285995

OriginalSize$2016_05_17_17_16_55_285994

OriginalSize$2016_05_17_17_15_50_285993

Fonte: Negócios

Comentários

comentários

2017-01-01T18:27:42+00:0018/05/2016|Categories: Estatística|Tags: , , , , |0 comentários

Deixar uma resposta

error: Segurança acima de tudo! ;)