Impresa dispara mais de 10% para máximos de Março

As acções da Impresa estão a subir mais de 10%, negociando acima dos 50 cêntimos por acção. Os títulos mantêm assim a tendência de ganhos registada na última sessão, a beneficiar do adiamento da privatização da RTP.

A Impresa está a subir 10,87% para 0,51 euros, na bolsa, atingindo assim o valor mais alto desde 16 de Março de 2012.

A subida de hoje surge depois de na sexta-feira as acções já terem disparado mais de 4%, a beneficiar do adiamento da privatização ou concessão da RTP.

Na quinta-feira, dia 24 de Janeiro, Miguel Relvas revelou que a privatização da RTP tinha sido adiada, à espera de uma altura mais vantajosa para o processo. Mas anunciou uma reestruturação que implicará, entre outras coisas, um corte dos valores que serão canalizados para a empresa de media. Assim, Miguel Relvas garantiu que “os portugueses deixarão de pagar a RTP duas vezes. Pela taxa que pagam na sua conta de electricidade e pela indeminização compensatória”. A RTP “em 2014 só poderá viver com a taxa de indeminização compensatória e com receitas de publicidade”.

Os analistas do BPI consideram que “esta é uma boa notícia para a Impresa, já que adia indefinidamente o potencial risco para a SIC”, isto porque a privatização ou concessão deverá alterar as regras de publicidade do canal público, ao subir para 12 minutos em vez dos actuais 6 minutos o tempo que o canal pode passar publicidade por hora.

Além disso, “considerando que a RTP deve assistir a cortes na contribuição atribuída pelo Governo em 2013, acreditamos que vais ser o operador com maior risco, dando espaço à SIC e à TVI para continuarem a aumentar quotas de mercado ao longo do ano”, adiantaram os analistas numa nota publicada na sexta-feira.

Fonte: Negócios

Comentários

comentários

2013-01-28T10:25:08+00:0028/01/2013|Categories: Geral|Comentários fechados em Impresa dispara mais de 10% para máximos de Março
error: Segurança acima de tudo! ;)