O lento crescimento económico e a política orçamental expansiva justificam a revisão.

A agência Standard & Poor’s (S&P) baixou o ‘outlook’ para a dívida brasileira de estável para negativo, admitindo assim um possível corte no ‘rating’ actual de BBB, dois níveis acima da categoria ‘junk’.

A agência de notação financeira alerta que o lento crescimento económico, conjugado com a política orçamental expansionista que está a ser levada a cabo pelo governo brasileiro, poderá conduzir a uma subida do nível de endividamento público.

Este movimento, que ameaça acabar com uma década de longa extensão de actualizações de classificação para o maior país da América Latina, foi despoletado pelas previsões para um terceiro ano de crescimento económico “modesto”, política orçamental “mais fraca” e uma deterioração da credibilidade do governo, afirmou a S&P.

De salientar que a economia brasileira cresceu 0,9% no último ano e as previsões para 2013 apontam para um crescimento de apenas 2,77%, segundo dados de Junho do banco central do Brasil.

Siobhan Morden, especialista em dívida do Jefferies Group, afirmou em declarações à Bloomberg que esta revisão em baixa “tem a ver com inconsistência política, o ‘trade off’ entre inflação alta e baixo crescimento e a perda de credibilidade do banco central”.

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, visita Portugal na próxima segunda-feira.
Outros dois gigantes emergentes – México e Rússia – também estão com ‘outlook’ negativo.

Fonte: Económico

Comentários

comentários