Os trabalhadores da Dan Cake Portugal em Santa iria de Azóia, concelho de Loures, estão hoje concentrados à entrada da empresa do setor alimentar em protesto contra os “atrasos consecutivos” no pagamento de salários, disse uma fonte sindical.

Em declarações à agência Lusa, Rui Matias, do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal (SINTAB), disse que cerca de 100 trabalhadores estão hoje de manhã concentrados junto às portas da empresa para pedir explicações à administração da Dan Cake sobre o atraso no pagamento de salários.

“A empresa não está a pagar atempadamente os vencimentos. Esta situação sucede há oito meses e os trabalhadores estão fartos, nós tínhamos um pré-aviso de greve para dia de hoje porque já tínhamos informação de que a empresa não ia pagar os vencimentos na totalidade”, explicou.

O sindicalista adiantou que a empresa pagou apenas o mês de maio excecionalmente a horas porque tinha “recebido a visita de um inspetor” da Autoridade para as Condições de Trabalho.

“Ontem [terça-feira] a empresa, sabendo que íamos fazer greve, depositou 200 euros nas contas dos trabalhadores. Parece-nos que há aqui alguma coisa que não está bem”, disse.

Rui Matias declarou que os trabalhadores estiveram reunidos com a empresa no mês passado e, nessa altura, foi-lhes dito que a Dan Cake está com problemas financeiros e que estava a ser feita uma reestruturação.
Segundo o sindicalista, a Dan Cake tem condições para pagar os salários dos seus cerca de 170 trabalhadores atempadamente pois continua a contratar pessoas e tem bons “shares” de venda.

“A Dan Cake é uma empresa que tem mais de 50 anos, é uma empresa implementada no mercado, com bons ‘shares’ de venda. Tem duas empresas, uma em Santa Iria de Azóia e outra em Coimbra, não percebo”, frisou.

Rui Matias adiantou que a empresa “continua a contratar, a fazer contratos a termo certo, sendo que a única coisa que não faz é pagar os vencimentos atempadamente aos trabalhadores, alguns há mais de 30 anos na Dan Cake.

“Ou há aqui alguma má vontade por parte da empresa ou alguma movimentação de capital para outros sítios”, disse.
Rui Matias realçou que há muitos trabalhadores que não conseguem trabalhar porque não têm dinheiro para comprar o passe no início do mês.

O sindicalista do SINTAB adiantou ainda que os trabalhadores vão continuar concentrados à porta da empresa em defesa dos seus salários e postos de trabalho e tentar falar com a administração da empresa.

Fonte: Dinheiro Vivo

Comentários

comentários