Vendas de computadores portáteis caem 30% em Portugal

Crise motiva quebra nas vendas de computadores portáteis, que estão a perder espaço para os ‘tablets’.

A retracção no consumo e o fim dos projectos de Educação (e-escolas e e-escolinhas) foram os grandes responsáveis pela quebra nas vendas de computadores portáteis no mercado nacional. Segundo as contas da Toshiba foram vendidos 600 mil computadores portáteis em 2012, o que representa um decréscimo de 30% face ao ano anterior.

O segmento de consumo decresceu 23% como consequência directa da crise económica que afecta o consumo das famílias. Em contra-ciclo esteve o segmento empresarial, a crescer 3%.

“No final do ano houve uma dinâmica muito positiva por parte das PME e das grandes empresas. Surgiram muitos pedidos de propostas em adquirir e renovar o parque instalado”, disse hoje Jorge Borges, director de marketing da Toshiba para Portugal e Espanha, no sétimo Observatório realizado pela marca.

Consolidando as vendas de portáteis e ‘tablets’, a Toshiba aponta para um crescimento de 10% das vendas. “Estas vendas foram impulsionadas pelos ‘ultrabooks’, que venderam cerca de 45 mil unidades, mas sobretudo pelos ‘tablets’, que vieram ganhar espaço aos ‘netbooks'”, adiantou o responsável. No ano passado foram comercializadas 325 mil unidades de ‘tablets’ no mercado português.

Para o corrente ano, e apesar da actual conjuntura económica, a fabricante japonesa estima que as vendas de portáteis e ‘tablets’ cresçam 15%, em Portugal, ultrapassando um milhão de unidades. “Este crescimento será estimulado com os novos formatos de ultraportáteis (modelos híbridos e ‘tablets’) e Windows 8 com ecrã ‘touch'”, referiu Jorge Borges.

No entanto, as vendas de computadores portáteis não devem escapar a nova quebra. A Toshiba prevê que sejam vendidos menos 8% a 10% de portáteis que no ano passado. “Acreditamos que em 2013 vão continuar a vender-se mais ‘tablets’ que portáteis, principalmente no segmento de consumo”, salientou o director de marketing.

A fabricante japonesa vendeu 138 mil portáteis e tem como objectivo “manter a posição de liderança e continuar a apostar num modelo de negócio sustentável através do reforço da estratégia de canal e lançamento de novos produtos”, salienta Jorge Borges.

Mercado de televisores cresce em 2012

Já as vendas de televisores em Portugal aumentaram ligeiramente em 2012, impulsionadas pela migração para o sistema TDT. Segundo dados da Toshiba, foram vendidos 900 mil unidades no ano passado. A Toshiba é hoje o terceiro ‘player’ no segmento de televisores, tendo vendido cerca de 40 mil unidades.

“O nosso objectivo é consolidar a nossa posição no mercado de TV este ano”, sublinha Jorge Borges. O responsável referiu que a aposta passa pela convergência digital através do conceito ‘connected TV’ que deverá ser uma realizada para todos a curto prazo.

Fonte: Económico

Comentários

comentários

2017-01-01T18:29:40+00:0030/01/2013|Categories: Geral|Comentários fechados em Vendas de computadores portáteis caem 30% em Portugal
error: Segurança acima de tudo! ;)